As areias de Copacabana, templo da maior festa de fim de ano do mundo, receberam milhares de fiéis nesta terça-feira, durante as celebrações em homenagem a Iemanjá. E a praia mostrou que o casamento entre religião e democracia é possível.
Diante de 20 mil pessoas, a cantora Ângela Thomaz, de 40 anos, celebrou sua união em uma cerimônia afro com o sargento Antonio Silva Junior, de 47 anos. Criado na religião evangélica, o noivo realizou o sonho da mulher.
— Estamos juntos há 13 anos e nos casamos há dez no civil e no religioso, na Igreja Católica e na Evangélica. Agora, renovamos votos. Foi o meu presente — contou Ângela, que é umbandista.
Para Antonio, o importante é a fé. — Somos todos filhos de Deus. Não tem por que haver intolerância religiosa. É para Deus que cada um vai prestar contas — pregava o noivo.
Barcos com oferendas
Do Mercadão de Madureira, partiram cerca de 20 ônibus, que levaram os fiéis ao Posto 4, onde foi celebrada a união, com festa ao som dos atabaques e cânticos afro. Cerca de oitenta barcos com oferendas foram entregues ao mar. Para não poluir as águas, todos os objetos de plástico e de vidro foram doados. Já a Congregação Espírita Umbandista do Brasil reuniu cerca de dez terreiros em uma festa que atraiu milhares de religiosos. A forte chuva foi vista como bênção.
— A chuva é sinal de Oxalá, que abranda corações e esfria as cabeças. O ano será de Oxalá e Iemanjá, orixás ligados à família. Será muito abençoado para casamentos e para a união, harmonia e amor — explica a mãe de santo Miriam de Oyá.


Fonte: Extra / Gospel+

0 comentários: